APRESENTAÇÃO

Festival Literário Internacional de Querença

A PALAVRA, POR LUÍS GUERREIRO 

O Programa da 2ª edição do FLIQ – Festival Literário Internacional de Querença é ambicioso, ousado e único no contexto do Algarve. Cumpre nos dias 12, 13 e 14 de Maio os objectivos que estiveram na sua génese. A saber: celebrar a dimensão comunicativa da Literatura, promover sem restrições o gosto pela leitura e pela escrita, reforçar um ambiente literário estimulante na região, difundindo reflexões "glocais".

Luís Guerreiro, presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro e coordenador do FLIQ, desvenda o Programa:  “Além do tema aglutinador da Palavra, dita, escrita, cantada, dançada, discutida, haverá um tema específico para o último dia. Trata-se de ‘Literatura e Sociedade: Pontes de Solidariedade’. Vamos estar muito direccionados para um drama dos nossos dias, para um problema que nos aflige a todos, que é o dos refugiados e vamos ver como é que através da Literatura e da Palavra conseguimos criar estas pontes de solidariedade.”

A homenagem a um escritor é também “marca d'água” do FLIQ que este ano distingue Teresa Rita Lopes. A escritora algarvia e professora universitária é uma referência internacional no estudo da obra de Fernando Pessoa. O segundo dia do evento, Sábado, será assim inteiramente dedicado a Teresa Rita Lopes: a cidadã, que conheceu o exílio na década de 1960, a académica que tem elevado e difundido além-fronteiras a obra pessoana, a escritora de teatro, a poetisa de «olhar do Sul». Além de uma exposição que reflecte o seu percurso, estão previstas intervenções de autores especialistas ou interessados na sua obra, entre eles Catherine Dumas, Manuel Moya, Carlos Brito e João Luiz. De assinalar também que a escritora escolheu o palco do FLIQ para apresentar o seu mais recente livro: Vida e Obras de Alberto Caeiro.

Luís Guerreiro leva-nos para o primeiro dia do FLIQ: “Começa com a inauguração de um jardim literário, que será criado pelos alunos do Agrupamento Padre João Coelho Cabanita. É uma forma de envolver, desde logo, a comunidade infanto-juvenil no Festival Literário Internacional de Querença. Coincide que este ano se assinalam os 20 anos sobre o falecimento do professor Manuel Viegas Guerreiro, patrono da Fundação e por isso, vamos ter também uma série de acontecimentos relacionados com esta figura marcante da cultura portuguesa. Um deles será um jantar com ‘Menu Manuel Viegas Guerreiro’, mediante pré-inscrição, onde serão saboreados os pratos favoritos do professor, típicos da serra e do barrocal algarvios. Segue-se uma tertúlia com antigos alunos, quer do antigo liceu de Faro, quer da Universidade de Letras e muitos amigos”, acrescenta o coordenador do FLIQ.

Com presença confirmada de mais de 30 convidados nacionais e estrangeiros, entre escritores e intervenientes nas várias conferências e leituras, o FLIQ propõe espectáculos musicais e teatrais, exposições, feira do livro, apresentação de livros, sessões de autógrafos e passeios para fruir em torno da Palavra.

“Vamos ter uma série de iniciativas de cariz cultural. Afonso Dias, Francisco Fanhais, Paulo Moreira e Luísa Monteiro são só alguns nomes associados ao cartaz de espectáculos. Em resumo: no dia 12, 13 e 14 de Maio, todos os caminhos do Sul vão ter a Querença. Porquê? Porque vai decorrer o Festival Internacional de Querença!” Palavras de Luís Guerreiro que este ano vão ter eco nas ondas hertezianas já que o FLIQ tem a Antena 1 como media partner, sinal do reconhecimento da importância cultural do evento. A Direcção Regional de Cultura do Algarve, a Câmara Municipal de Loulé, União de Freguesias de Querença, Tôr e Benafim, Programa Algarve 365 e Quinta da Ombria, Hotel Spa & Golf Resort também apoiam.

Siga as novidades do FLIQ/17 através da página de Facebook que continua a somar amigos. Para conferir e partilhar a partir de: http://bit.ly/2oBvwoH.