DIAS 12, 13 e 14 | VIAGEM INTERIOR | TELMA VERÍSSIMO


Documentário fotográfico sobre desertificação e despovoamento no Algarve 

São conhecidas as modificações no regime das precipitações, a subida das temperaturas, as ondas de calor e as secas. Estes acontecimentos têm impacto sobre a fauna, a flora e os solos: a biodiversidade fragiliza-se, a agricultura é afetada e o risco de incêndios aumenta. A fuga para o litoral à procura de condições de vida melhores, o envelhecimento da população e o desaparecimento de serviços essenciais nas povoações mais pequenas são fenómenos difíceis de inverter. Assiste-se ao abandono da terra e à negligência das zonas florestais. O conhecimento ancestral e as tradições desaparecem. Cada um destes factores conduz ao agravamento de outros, num ciclo de degradação cada vez maior. Viagem Interior propõe uma reflexão sobre as dificuldades presentes no Algarve menos conhecido.

 

SOBRE TELMA VERÍSSIMO

Fotógrafa profissional desde 1993, colaborou em várias publicações nacionais e regionais, entre elas, PúblicoDiário de NotíciasJornal do Algarve e jornal Barlavento. Tem colaborado ao longo dos anos com diversas entidades regionais institucionais e não só. Formadora desde 1995, assina a fotografia em vários livros. Em 2001 arrecadou o segundo prémio no concurso "A prevenção das toxicodependências vistas pelos repórteres de imagem da imprensa" do IPDT e o Primus Inter Pares, galardão revelação promovido pela revista Magazine do Algarve.

No FLIQ/17 apresenta a exposição Viagem Interior - Documentário fotográfico sobre desertificação e despovoamento no Algarve.


DIA 13 | Performance Dramática com PAULO MOREIRA e LUÍSA MONTEIRO

Participarão na homenagem a TERESA RITA LOPES.

  

DIA 14 | AO LUAR TEATRO

Nasceu da vontade de um grupo de profissionais interessados em teatro comunitário. Inspirado na serra do Caldeirão, tem como princípios orientadores a recuperação, afirmação e valorização da tradição oral, dedicando especial atenção aos costumes e à identidade algarvia com forte incidência no meio rural. No universo da memória colectiva desencanta dos baús da memória, as lendas, os encantamentos, as histórias, os contos que constituem a memória do povo. Representa a continuidade de um estilo de companhia de teatro itinerante com grande tradição em alguns países europeus e que, ao longo dos tempos, foi possibilitando um "teatro para todos e em qualquer lugar". 

No FLIQ/17 serão responsáveis por uma intervenção dramática.