• Hemeroteca Digital do Algarve vencedora no OPP

    O anúncio foi feito esta tarde em Lisboa pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques e pela secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca.
    A Hemeroteca Digital do Algarve (HDA) foi candidatada ao Orçamento Participativo Portugal (OPP) pelo cidadão Luís Manuel Mendes Guerreiro e propõe criar uma plataforma digital que disponibilizará todos os jornais e revistas produzidos no Algarve, de 1833 até aos nossos dias, em formato digital e de fácil consulta pública. Foi o projecto algarvio mais votado tendo arrecadado 703 votos. Ficou em sétimo entre os da área da cultura e em décimo primeiro no global.
    A HDA é um dos últimos projectos de Luís Guerreiro, ex-presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, falecido há precisamente um mês.
    Gabriel Guerreiro Gonçalves, presidente interino daquela instituição esteve no Pavilhão do Conhecimento e recebeu a notícia com grande entusiasmo: “O resultado desta votação representa a concretização de uma das últimas vontades de Luís Guerreiro. Por outro lado, representa também o interesse do próprio projecto e o despertar da população para uma área da cultura que tem sido esquecida, a da imprensa. A Hemeroteca vai dar a conhecer a história e a evolução da imprensa no Algarve ao longo de praticamente dois séculos, o que é de toda a relevância para a cultura do país.”  
    Caberá agora à Direcção Regional de Cultura do Algarve alavancar a concretização do sonho do ex-presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, orçado em 200 mil euros.
    Na área da cultura assinala-se somente um outro projecto no Algarve, o da Festa da Nossa Senhora dos Navegantes (Ilha da Culatra). Outros três passaram no OPP, mas no âmbito da ciência e da educação, tendo colhido 884 votos no seu conjunto.
    A execução dos 38 projetos vencedores contará com três milhões de euros, cabimentados na primeira edição do OPP. A votação online nos 601 projectos de âmbito regional e nacional decorreu entre os dias 7 de Junho e 10 de Setembro. Reuniu perto de 80 mil votos.
    Querença, 14 de Setembro de 2017
  • Newsletter FMVG n.º 5 «Luís Guerreiro, o "Engenheiro das Letras"»

    Já foi publicada em suporte físico, a Newsletter n.º 5 da FMVG Luís Guerreiro, o "Engenheiro das Letras" encontrando-se disponível na sede da Fundação em Querença.
    Várias vozes e publicações recordam e perpetuam o contributo e o legado de Luís Guerreiro.
    A versão digital, publicada na noite de 4 de Setembro, que seria a do seu 57.º aniversário, está alojada aqui.
    A Fundação agradece a todos quantos participaram na publicação, estendendo também o mesmo apreço a todos aqueles que, por outras vias, acarinham e continuam a homenagear o trabalho do Eng.º Luís Guerreiro.
  • Concerto de Tributo a Luís Guerreiro

    [actualizada]
    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Orquestra Clássica do Sul homenagearam Luís Manuel Mendes Guerreiro, seu falecido presidente, através de um concerto em Querença no passado dia 18 de Agosto.
    O maestro titular Rui Pinheiro, conduziu o espectáculo sob a batuta de “Portugal, a Terra e o Mar”. O repertório incluiu obras de Cherubini (Hospedaria Portuguesa), Honegger (Pastoral de Verão), Mendelssohn (As Grutas de Fingal), Tomás de Lima (3 cenas Algarvias) e Freitas Branco (Fandango).
    O Município de Loulé também se juntou à evocação da memória de um dos seus colaboradores. Luís Guerreiro desenvolveu três décadas de actividade na Câmara Municipal, tendo passado por áreas tão diversas como a de Saneamento Básico, Turismo e Desenvolvimento Rural, Comunicação e Animação. Foi no entanto no sector da Cultura que mais se destacou, com um forte contributo na construção do saber histórico sobre Loulé e o Algarve.
    O concerto realizaou-se pelas 22H, na Praça da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, com acesso livre.
    O filme de Tributo ao Eng. Luís Guerreiro poderá se visionado aqui.
    Querença, 25 de Agosto de 2017
  • Faleceu Luís Guerreiro, Presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

    Homem da Cultura, foi e sempre será um dos bibliófilos mais respeitados no Algarve, dentro e fora da esfera académica. Considerado dos poucos com tão abrangente conhecimento da história local e regional, fundou o Centro de Estudos Algarvios que receberá o seu nome em sinal de tributo. O CEA passar-se-á a chamar-se Centro de Estudos Algarvios Luís Guerreiro.
    O interesse pela história tornou-o guardador de mais de dois mil livros, recolha que permitiu fixar em 1833 o início da imprensa periódica regional algarvia. É também seu legado o projecto da Hemeroteca Digital, plataforma que pretende alojar todos os periódicos publicados no Algarve. O projecto foi incluído este ano no Orçamento Participativo de Portugal.
    O FLIQ-Festival Literário Internacional de Querença foi um dos seus grandes projectos nos últimos dois anos. O evento que celebra a cultura sem restrições nem fronteiras, geográficas ou mentais foi pensado pelo “engenheiro das letras” numa altura em que já estava doente. A inspiração e o empenhamento na preparação do FLIQ representaram uma importante força motriz no combate ao mal que o afligia e que nunca o impediu de projectar novas iniciativas.
    Nascido em 1960, na aldeia que ajudou a consolidar como pólo cultural, frequentou a escola nos Corcitos, a três quilómetros de casa. Cresceu a ouvir o pai e o tio a contar estórias à lareira. Licenciou-se em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico (1981-1986), tendo integrado a equipa do Município de Loulé, recém-licenciado e de regresso ao Algarve.
    Começou no sector de Saneamento Básico, mais tarde foi responsável pelo Gabinete de Turismo e Desenvolvimento Rural, altura em que foi nomeado adjunto do então presidente da Câmara Municipal de Loulé, Joaquim Vairinhos. No exercício destas funções coordenou, por delegação do presidente, uma vasta actividade no domínio da Cultura.
    Foi ainda Chefe do Gabinete de Apoio ao Presidente (1997/99), Coordenador do Gabinete de Imprensa (1994 a 2002), Chefe de Divisão de Turismo, Desenvolvimento e Animação (1999/2004), Chefe de Divisão de Cultura (2004/2013) e Coordenador do Gabinete de Eventos, Comunicação e Imagem (2013 até ao presente).
    Paralelamente, desempenhou diversas actividades em associações socioculturais. Integrou a Comissão Instaladora da Fundação António Aleixo, foi cooperador e presidente da Assembleia Geral da CEUPA – Cooperativa de Ensino Universitário do Algarve, membro da direcção do Círculo Teixeira Gomes e Coordenador Técnico da Candidatura de Sagres a Património da Humanidade. Foi igualmente director, responsável editorial e colaborador assíduo do Jornal “A Voz de Loulé”.
    Percorreu de forma sagaz os corredores de bibliotecas e arquivos. Fundou uma livraria e apresentou livros. Participou em inúmeras palestras e tertúlias, deu formação, comissariou exposições.
    Investigador da História regional e local, participou em diversos encontros e congressos e publicou inúmeros trabalhos, com destaque para Bibliografia do Concelho de Loulé (em coautoria com João Sabóia), Loulé no ano da Revolução (XX Aniversário do 25 de Abril) ou Duarte Pacheco – O Edificador.
    A sua memória será sempre presente e o agradecimento eterno pelo precioso, profundo e inquestionável contributo de Luís Guerreiro à Fundação Manuel Viegas Guerreiro, a Querença, ao Algarve e à Cultura. A Fundação deixa a garantia de que tudo fará para prosseguir os fins e a visão estratégica que o seu Presidente lhe soube imprimir.
    A Fundação apresenta aos seus familiares os mais sinceros sentimentos. Um sentido abraço à esposa, Cristina Guerreiro e aos dois filhos, Catarina e Gonçalo.
    Querença, 15 de Agosto, 2017
  • Faleceu Luís Guerreiro

    Faleceu Luís Guerreiro, presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, da qual foi activo impulsionador e dinamizador.
    Homem da Cultura, Luís Guerreiro nasceu em Querença. Faleceu aos 56 anos de idade vítima de doença prolongada.
    A Fundação apresenta aos seus familiares os mais sinceros sentimentos. Um sentido abraço à esposa, Cristina Guerreiro e aos dois filhos, Catarina e Gonçalo.
    Querença, 14 de Agosto de 2017
     
  • 4.ª edição da Newsletter da FMVG

    Já está disponível a 4.ª edição da Newsletter da Fundação Manuel Viegas Guerreiro.
    A criação de um Museu de Imprensa no Algarve, a publicação da Obra Completa de Casimiro de Brito com a chancela da Imprensa Nacional-Casa da Moeda e a presença da Fundação na imprensa são alguns dos temas que integram o alinhamento da Newsletter MVG de Agosto e que poderá ler aqui.
    Bom Verão. Boas leituras.
    Se não leu a Newsletter n.º 3, pode encontrá-la aqui.
  • Fundação MVG na Imprensa

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro orgulha-se de ter cativado o espaço da imprensa nacional e regional ao longo do mês de Julho.
    O seu presidente, Luís Guerreiro gerou três páginas no P2, Caderno do Público, como um dos “Sete Historiadores Amadores”, nome de um dossier temático encartado no jornal diário. Idálio Revez assina a  peça que inclui, entre vários testemunhos, um texto da escritora Lídia Jorge.
    Na revista Visão, a Fundação é indicada como ponto de visita em Querença, integrando assim o roteiro estival da publicação.
    A realização do Colóquio “Pentateuco: Comemoração dos 530 anos de livro impresso em Portugal” mereceu publicação no Correio da Manhã e no Barlavento, em suporte papel e digital. Surge profusamente no online. Sul Informação, Região Sul, Algarve Primeiro, Mais Algarve e Planeta Algarve são só alguns dos sites onde se pode ler a notícia sobre o anúncio do Museu de Imprensa no Algarve e o alegado furto do Pentateuco da cidade de Faro, hoje preservado no British Museum.
    A candidatura da Hemeroteca Digital do Algarve ao Orçamento Participativo de Portugal também captou a atenção do Sul Informação que divulgou a natureza do projecto e divulgou o modo de votação, a decorrer até 15 de Setembro.
    Esta e outras notícias da FMVG na Newsletter n.º 4
  • TERESA RITA LOPES: Uma Paisagem de Mim

    Está patente na Biblioteca da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, a exposição que homenageia a cidadã de causas e militâncias, a escritora algarvia e professora universitária, referência internacional no estudo da obra de Fernando Pessoa.
    O percurso pela sua vida faz-se através de 15 vitrines, dezenas de retratos e cartazes. Poemas e documentos narram as suas três cidades natais: Cacela, Lisboa e Paris. Contam os seus regressos e metamorfoses. Pode ler-se num excerto dos seus poemas:
    “Cá estou de novo no meu segundo berço. Volto às vezes ao primeiro
    e também ao terceiro
                                    à procura dos baguinhos de milho que por lá
    espalhei..."
    Os painéis dedicados à sua infância no Algarve, à juventude estudantil em Lisboa, ao exílio em Paris, e ao inquestionável contributo no estudo e divulgação da obra pessoana - garante da pertença nacional da arca de Fernando Pessoa – transportam-nos pela simples e grandiosa escrita poética, dramatúrgica e ensaística que qualifica a autora.
    A sua tese de doutoramento apresentada à Université de la Sorbonne Nouvelle em 1975, Fernando Pessoa et le Drame Symboliste: héritage et création, é uma das peças que poderá conhecer, a par com outros títulos mais recentes como Os Dedos os Dias as Palavras (1987), Por Assim Dizer (1994), Cicatriz (1996, Prémio Eça de Queirós) e O Sul dos meus Sonhos (2009).
    Destaque ainda para a recriação da fachada de uma casa algarvia na biblioteca que acolhe a mostra e para uma vitrina que expõe, num pequeno manto de areia da praia, molduras elaboradas pela autora e versos que espelham a influência do mar na sua vida.
    Percorrer o caminho da exposição é assim uma oportunidade para descobrir ou aprofundar o conhecimento sobre a produção literária de Teresa Rita Lopes.
    “Falar desta homenagem atrapalha-me imenso porque apesar de toda a minha vida me interessar e escrever teatro não sou de me pôr no palco, mas fico muito sensibilizada. Muito obrigada por se terem lembrado!”, disse a propósito da homenagem por altura do Festival Literário Internacional de Querença, a 13 de Maio.
    Este caminho para um melhor conhecimento das qualidades de Teresa Rita Lopes, humanas e intelectuais, pode ser percorrido até dia 12 de Setembro, entre as 9h30 e as 17h00.

     

     

  • PO Algarve 2020 divulga abertura de avisos para micro e pequenas empresas em Querença

    Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e Emprego (SI2E), do Programa Operacional Regional CRESC ALGARVE 2020, apresentado no passado dia 31 de Maio, no Auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, Loulé.

    A sessão surgiu na sequência da abertura dos Avisos de Concurso do SI2E no Algarve e contou com a participação do Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza.

    O SI2E, regulamentado pela Portaria n.º 105/2017 de 10 Março, visa apoiar projectos de criação, expansão ou modernização de micro e pequenas empresas com criação líquida de emprego, através do financiamento de postos de trabalho e das despesas de investimento. No Algarve, será gerido pelos Grupos de Acção Local (GAL), quando se tratem de projetos com um investimento elegível até 100.000 Euros.

    A apresentação pública contou ainda com as presenças do presidente da Autoridade de Gestão do Programa Operacional Regional CRESC ALGARVE 2020 e da CCDR Algarve, Francisco Serra, do presidente da Câmara Municipal de Loulé e representante da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, Vítor Aleixo, e do vice-presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, Gabriel Gonçalves.

    Durante a sessão, foram divulgadas as especificidades dos vários avisos com a participação dos representantes dos Grupos de Ação Local: GAL Rural – Interior do Algarve Central (Associação In Loco, Nélson Domingues), GAL Urbano Silves 2020, GAL Urbano Lagos Cidade 2020 e GAL Rural Adere 2020 (Associação Vicentina, Aura Fraga), GAL Urbano Faro 2020 (Fundação António da Silva Leal, César Augusto), GAL Costeiro – Sotavento do Algarve (Município de Olhão, Edgar Domingos), GAL Costeiro – Pesca do Barlaventodo Algarve (Agência de Desenvolvimento do Barlavento, José Moura Bastos), GAL Urbano Tavira 2020 (Fundação Irene Rolo, Noémia Neves) e GAL Rural Baixo Guadiana 2020 (Associação Terras do Baixo Guadiana, Ricardo Bernardino).

    No encontro participaram técnicos das entidades envolvidas, empresários e potenciais interessados na apresentação de candidaturas.

    Mais detalhes sobre a sessão e a lista actualizada dos avisos abertos no PO ALGARVE 2020 disponíveis para consulta emhttp://algarve2020.pt/info/avisos


  • CCDR divulga incentivos ao empreendedorismo na Fundação Manuel Viegas Guerreiro

    A iniciativa, promovida pelo CRESC Algarve 2020, contará com a presença de Nélson de Souza, secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão e dos Grupos de Ação Local (GAL) do Algarve.

    “O papel relevante das micro e pequenas empresas para a criação de valor e emprego, e para a diversificação e qualificação das bases empresariais, de forma particular em territórios de baixa densidade ou com constrangimentos decorrentes de elevados níveis de desemprego, aconselha a diversificação da oferta dos apoios ao empreendedorismo e à criação de emprego e esteve na base da criação do SI2E”, avança a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve.

    Pela natureza dos objetivos que prossegue, o SI2E “ganhará eficácia acrescida se for aplicado de forma mais ajustada e próxima dos territórios em que quer promover o investimento empresarial. Foi essa a motivação para a instituição inovadora, em termos de prática de operacionalização de sistemas de incentivos, de uma gestão partilhada com os agentes que estão mais próximos dos seus utilizadores”.

    O SI2E será gerido em grande medida pelos GAL’s, quando os incentivos resultarem de estratégias de Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC), que contam com o apoio e colaboração da CCDR Algarve. Alinhado com os objetivos das políticas públicas interrelacionadas, desde logo com o Programa Nacional para a Coesão Territorial, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 72/ 2016, de 24 de Novembro, não se aplica somente aos territórios de baixa densidade: “O SI2E favorece, através de majorações específicas, os investimentos nelas realizados e sobretudo cria condições para uma maior dinâmica empresarial ao ajustar tipologias de projetos às condições reais das micro e pequenas empresas do interior”, conclui a entidade promotora da iniciativa a decorrer hoje em Querença.

    31 de Maio de 2017

  • PRESIDENTE DA FMVG DISTINGUIDO PELO ROTARY CLUBE DE LOULÉ

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro congratula-se por assinalar que a competência e a dedicação de Luís Guerreiro mereceram o reconhecimento dos rotários louletanos, através da atribuição da Homenagem a um Profissional do Concelho de Loulé.
    O Rotary Clube de Loulé destaca “o importante contributo que durante muitos anos tem dado de forma empenhada ao conhecimento da realidade cultural, histórica e social deste concelho.”
    Homenagem que acontecerá na forma de um jantar entre rotários, familiares e amigos do presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, no Hotel Tivoli Marina, em Vilamoura, na próxima segunda-feira, dia 16.
  • Exposição de Casimiro de Brito começa Volta ao Algarve

     

    Loulé, 06 de Janeiro de 2017

     

    Exposição de Casimiro de Brito começa Volta ao Algarve 
     
    A exposição que homenageia o poeta algarvio, com raízes em Querença, deixa a Fundação Manuel Viegas Guerreiro para ir ao encontro do público, dos leitores.
    A versão itinerante Entre Mil Águas: Vida Literária de Casimiro de Brito, prepara-se para inaugurar na véspera do nascimento do autor, a 13 de Janeiro, no Arquivo Histórico de Albufeira, onde poderá ser visitada até dia 2 de Fevereiro. A mostra seguirá depois para a Biblioteca Municipal de Loulé, percorrendo outras bibliotecas e espaços expositivos do Algarve ao longo do ano de 2017.
    Com cerca de 70 livros publicados e obra traduzida em 30 línguas, entre elas árabe, hebreu, corso, holandês, sueco, polaco, esloveno, servocroata, grego, romeno, búlgaro, húngaro, russo, chinês e japonês, Casimiro de Brito é hoje um homem do mundo: “Eu quero ser isso.” Assim decidiu ainda menino, sentado no colo de António Aleixo que, na tasca do pai de Casimiro, dizia a quadra do dia. “O Aleixo tinha a música, a sabedoria e a crítica social. O que faço é o resultado da audição aliada à necessidade de dizer coisas que foram sempre ditas, mas de modo diferente. Daí os meus 70 livros.”
    Do reconhecimento da diversidade, qualidade e originalidade da poesia de Casimiro de Brito, que tem vindo a alcançar as mais elevadas distinções em Portugal e no estrangeiro, estando representado em mais de 200 antologias internacionais, nasceu a vontade da Fundação Manuel Viegas Guerreiro de homenagear o filho da terra. Foi o que aconteceu durante a 1.ª edição do FLIQ, o Festival Literário Internacional de Querença, que decorreu no ano passado ao longo de três dias.
    Uma surpresa para o poeta, que não ficou indiferente ao convite: “Sempre ouvi a minha mãe falar desse menino genial que era Manuel Viegas Guerreiro, seu colega de escola primária, mas não imaginava que dezenas de anos depois iria encontrar a expressão materializada desse tal colega de quando ela tinha 10 anos, uma menina... é curioso! A vida está cheia de curiosidades e de subtilezas. Como é que uma pessoa depois de tantos anos de vida, de tanto conhecimento, de tantos continentes, de tantas línguas, de tanta filosofia, vai cair numa coisa que está ligada à sua infância. Isto é um mistério absoluto. É um mistério absoluto!”
    Por entre mistérios descobre-se agora um novo olhar sobre a obra do poeta, através de vários painéis e de um filme que integram Entre Mil Águas: Vida Literária de Casimiro de Brito. A exposição itinerante é comissariada por Patrícia de Jesus Palma, que lança o desafio da divulgação a todos os municípios num convite expresso aos jovens: “As bibliotecas são um excelente ponto de encontro para leitores com perfis muito distintos e um espaço que os estudantes elegem para estudar. Por isso, pensámo-las como espaço ideal para a divulgação da obra de Casimiro de Brito. Mas a exposição também poderá ser acolhida por escolas, associações culturais ou outros espaços expositivos, basta que manifestem esse interesse através do site da Fundação Manuel Viegas Guerreiro.” 
    Patrícia de Jesus Palma é investigadora do CHAM (Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa e colaboradora da Fundação Manuel Viegas Guerreiro. 
  • Assinatura de Protocolo entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo

    A cerimónia de assinatura de Protocolo de Cooperação Institucional entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo, que decorreu ontem na sede da primeira, em Querença, foi um momento bonito. «A vida é uma coisa bonita», disse o neto do Poeta, Vítor Aleixo. E surpreendente.
    Foi-o pelo que significou de reconhecimento mútuo entre entidades que visam servir a comunidade, representadas pelos seus presidentes, Luis Guerreiro e Vítor Manuel Murta Marcos, que se entendem como instituições altruístas, prestadoras de serviços, visando contribuir para o desenvolvimento regional e concelhio nos domínios social, cultural, educativo, artístico e científico, colocando os seus meios técnicos e humanos ao serviço uma da outra, com vista à concretização de um objectivo comum: o conhecimento e valorização da obra do Poeta António Aleixo.
    Foi-o pela presença de familiares e amigos que nos honraram com a sua participação, entre os quais, o filho de António Aleixo, Vítor Manuel Martins Aleixo, há muito radicado em França.
    Foi-o pela revelação de documentos escritos e audiovisuais desconhecidos da maioria.
    Foi-o pelo convívio.
    Foi-o, enfim, pelo pôr em comum de um património que a todos responsabiliza e desafia.
    Aqui fica uma breve reportagem fotográfica. Cortesia de Mira (CMLLE)

  • Assinatura de Protocolo entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo

     

    Realizar-se-á no próximo dia 16 de Novembro, pelas 18h00 a cerimónia de assinatura do Protocolo entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e a Fundação António Aleixo, no auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença.
    Este Protocolo tem como objetivo desenvolver a inventariação, estudo e divulgação da obra do Poeta António Aleixo.
    Na mesma ocasião, será apresentado o documentário sobre António Aleixo, realizado pela RTP.

     

  • EXPOSIÇÃO ENTRE MIL ÁGUAS: VIDA LITERÁRIA DE CASIMIRO DE BRITO

  • 1.ª Edição do Festival Literário de Querença

    Nos próximos dias 5, 6 e 7 de Agosto, numa iniciativa da Fundação Manuel Viegas Guerreiro com a colaboração de várias outras instituições e pessoas, a aldeia de Querença, no Concelho de Loulé, localizada a 20 Km do litoral (Vilamoura, Vale de Lobo, Quinta do Lago e um pouco mais de Faro), proporcionará um ambiente poético de cariz ibérico. Serão três dias de poesia, arte, animação cultural, petiscos e tapas, apresentação de livros, mercadinhos de poesia, com a presença de escritores nacionais e estrangeiros. Será um ENCONTRO IBÉRICO DE POESIA.

    O primeiro dia será dedicado aos Poetas Andaluzes, o segundo será uma homenagem ao poeta Casimiro de Brito, de origem algarvia e raízes em Querença, com uma vasta obra publicada e traduzida em mais de trinta línguas, e o Domingo será dedicado aos Poetas Algarvios – os de berço ou de coração.

    O objectivo principal é o de celebrar a PALAVRA em todas as suas formas - dita, lembrada, escrita, cantada, subvertida, dançada, repetida, encenada, discutida… e os seus protagonistas.

    Palavra puxa palavra e a aldeia de Querença será raiz e sombra para um diálogo contínuo animado por todas as vozes que aqui se reunirão. Junte a sua!

     

    O Presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro,

    Eng.º Luís Guerreiro

  • Investigadores da Ualg ajudam a colocar online textos do Romanceiro Português

    "Os textos do Romanceiro português e os respetivos registos sonoros, quando conservados, vão passar a estar disponíveis online e em acesso livre na plataforma «Romanceiro.pt»."

     

    Ler Mais 

  • Exposição de Fotografia «África minha- trilhos Africanos»

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro vem por este meio
    convidá-lo(a) a estar presente na abertura da Exposição
    de Fotografia «Africa Minha -Trilhos Africanos» de Manuel Viegas Guerreiro, que irá ocorrer no
    dia 1 de Fevereiro, na Biblioteca da Fundação, em Querença.
    A exposição irá estar patente de 1 de Fevereiro a 31 de Março, podendo ser
    visitada de Segunda a Sexta das 10H00 as 17H00. 

  • Festa das Chouriças - Querença

    Querença recebe a tradicional Festa das Chouriças, em honra de São Luis, protetor dos animais, naquele que é um dos principais eventos gastronómicos da região algarvia.

    Ler mais 

  • Entre Arquivos

    Conhece o projecto "Fins de tarde com a Antropologia. Conversas sobre arquivos etnográficos", realizado em Lisboa? As organizadoras estarão em Querença (Loulé) para falar desta iniciativa. 
    Participe nesta sessão do Entre Arquivos, dia 30 de Janeiro, pelas 15h00, na Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

  • Exposição de Pintura Alfredo da Conceição

    A Fundação Manuel Viegas Guerreiro vem por este meio
    convidá-lo(a) a estar presente na abertura da Exposição
    de Pintura de Alfredo da Conceição, que irá ocorrer no
    dia 24 de Outubro, Sábado, às 16H00, na Biblioteca da
    Fundação, em Querença.
    A exposição irá estar patente de 24 de Outubro a 31 de Dezembro, podendo ser
    visitada de Segunda a Sexta das 10H00 as 17H00.

  • Evento " Andanças & Cantorias"

    Dia 12 de Setembro de 2015 pelas 19:30h, a Fundação Manuel Viegas Guerreiro, recebe o evento "Andanças & Cantorias".

    O evento conta com a participação de Afonso Dias e Teresa da Silva. 

  • Exposição "O Poeta Aleixo visto por artistas Plásticos"

    A exposição "O Poeta Aleixo visto por artistas Plásticos", será inaugurada no proximo dia 1 de Agosto pelas 19h, no edificio sede da Fundação Manuel Viegas Guerreiro. A exposição irá manter-se do dia 1de Agosto a 30 de Setembro, que poderá ser visitada de Segunda a Sexta, das 10H00 ás 17H00.

  • Microsoft - Moving Innovation

    A Microsoft está em constante movimento para desenvolver as tecnologias mais inovadoras e para ficar mais próxima das necessidades das comunidades locais.
    Desta vez, vamos estar em Loulé para apresentar as últimas inovações direccionadas para o setor público e focadas no desenvolvimento da região e das cidades.

    Contamos com a sua presença no próximo Moving Innovation.

    VER CARTAZ

  • Labirintos da Liberdade - Assalto ao Banco da Figueira da Foz

    Dia 26 de Abril, no Auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, pelas 16 horas, vamos evocar este acontecimento, com a presença do Camilo Mortágua, Luís Benvindo e António Barracosa (Palma Inácio faleceu em 2009) para além de outras pessoas indiretamente envolvidas. Sessão Moderada pelo Jornalista Francisco Piedade. 

  • Documentário "Os Últimos dias da Pide"

    Antestreia do Documentário “ os Últimos dias da pide” do Jornalista da RTP, Jacinto Godinho e Apresentação do livro “ os militares e o 25 de Abril” de Luísa Tiago de Oliveira.

  • Inauguração da Fundação

    Presidente Cavaco Silva na cerimónia de inauguração da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença

    VER VÍDEO