Manuel Viegas Guerreiro
Manuel Viegas Guerreiro
Manuel Viegas Guerreiro
Manuel Viegas Guerreiro

Manuel Viegas Guerreiro

“A cultura é só uma, tudo o que aprendemos do nascer ao morrer, da nossa invenção ou alheia, sentados nos bancos da escola ou da vida.”
Manuel Viegas Guerreiro, 1978

Nascido em Querença, concelho de Loulé no seio de uma família camponesa, em 1 de Novembro de 1912. Cursou Filosofia clássica na Faculdade de Letras de Lisboa. Quando se formou deu início ao seu percurso profissional como professor efetivo dos liceus (1940) e do Colégio Militar (1941-44).Doutorou-se em Etnologia na mesma faculdade em 1969. Por muitas veredas, montes e vales, de aquém e além-mar, este foi o caminho que Manuel Viegas Guerreiro trilhou incansavelmente ao longo de toda a sua vida.

Na sua simplicidade singular frisava sempre o facto de se limitar apenas a transpor para o papel, pela escrita, os saberes, os valores, as crenças, os rituais, os costumes que o “outro” (esses povos de tantas terras…) lhe havia ditado. A preciosa herança que nos legou – a de ter contribuído para uma maior consciencialização coletiva do valor da cultura popular e, assim, das raízes da nossa própria identidade –, patente na sua conceção de vida e nos seus escritos e itinerários, foi, porém, bem mais significativa e profunda…

A dedicação, respeito, curiosidade e sensibilidade por si continuamente demonstrados em relação às diferentes manifestações da(s) cultura(s) popular(es) (sobretudo a portuguesa, africana, brasileira…) no seu dia-a-dia como homem e professor e na sua produção científica constituem um verdadeiro exemplo de vida.

A ideia de relatividade cultural, de uma necessidade efetiva de aproximação e diálogo entre as realidades popular e erudita, do papel fundamental que o professor deve ter na (in)formação e sensibilização do público em geral para a relevância das questões ligadas à cultura popular (e não só) foram, de facto, desejos fundamentais de que Manuel Viegas Guerreiro nunca se separou.

Após a morte do Mestre Leite de Vasconcelos, Viegas Guerreiro tornar-se-ia, um dos principais impulsionadores do desenvolvimento e divulgação da Antropologia Cultural e da Etnografia enquanto ciências modernas em Portugal, sobretudo na área da literatura popular oral, quer através do seu trabalho enquanto professor liceal e sobretudo universitário, quer dos seus projetos de investigação de campo e respetivos estudos.

Mas nem só dos ecos ancestrais e ocultos da literatura popular ou das descobertas e fascínios etnográficos e antropológicos se fez este admirável “mestre da sabedoria do mundo”; também as preocupações pedagógico-didáticas, derivadas de uma formação filológica de base e da sua missão docente, e um manifesto interesse por aspetos particulares da História, Literatura e Geografia perspetivados antropologicamente foram fios condutores do itinerário deste investigador do povo para o povo.

Em 1997, em depoimento ao Jornal de Letras, o historiador e amigo José Mattoso recordava-o assim: “Ninguém podia resistir ao seu olhar simples e bom. Não se sabia de onde ele lhe vinha: se da misteriosa conjugação de heranças ancestrais, se de uma infância excecionalmente feliz, se de uma educação cheia de humanidade e de confiança nos outros, se de uma formação de antropólogo disposto a ver o lado bom do homem e a não se assustar com as diferenças do outro”.
Em suma desenvolveu obras importantes junto das comunidades dos Bochimanes de Angola e dos Macondes de Moçambique. Foi Professor Catedrático da Faculdade de Letras de Lisboa e fundador dos Estudos Gerais Livres. Uma figura ímpar da Cultura Portuguesa, do século passado, dedicou toda a sua vida ao estudo da Antropologia Portuguesa, tendo uma carreira académica brilhante. Manuel Viegas Guerreiro manteve-se sempre fiel à sua terra e ao seu querido Algarve, falecendo a 1 de Maio de 1997, com 84 anos.

 

                                                                                                  Entrevista com o Professor Manuel Viegas Guerreiro

 

 

Obras:

«Caçada aos Elefantes», in: Portugal em África. Revista de Cultura missionária.- Lisboa.-Vol. VII, nº 39, de Maio-Junho de 1950, pp.154-160.

 Disponível on-line

 

Colaboração no 1º e 2ºvolumes do Romanceiro Português do Dr. Leite Vasconcellos. Pertenceu-lhe a direção geral da edição, fixação do texto e revisão de provas. O 1.º vol., de 480 pp., foi publicado em 1958; o 2º., de 553 pp., foi publicado em 1960 e ambos nas actas da Universidade de Coimbra.

 

 «Boers de Angola», in: Garcia de Orta. Lisboa, Junta de Investigadores do Ultramar, 1958, vol.6, n.º 1, pp. 11-31.

 

Elaborção do 4.º volume da Etnografia Portuguesa do Dr. Leite de Vasconcellos, que redigiu na sua maior parte, segundo os materiais do Mestre e outros que lhes juntou. Lisboa, Imprensa Nacional, 1958, 666 pp.

 

 «Literatura oral dos Macondes», in: Comércio do Porto de 10 de Março de 1959.

 

Da indispensabilidade do latim na leitura dos nossos clássicos. Comunicação apresentada ao «Colóquio de Português e Latim», realizado no Liceu Normal de Pedro Nunes de 22 a 25 de Fevereiro de 1960, publicado pelo autor em 1963; 10 pp.

Disponível on-line

 

«Conto maconde de tema universal», in: Estudos, oferecidos em homenagem ao Prof. J. Carrington da costa. Lisboa, Junta de Investigações do Ultramar, 1963, 152 pp.

 

Conto maconde de tema universal, da missão de estudos das Minorias étnicas do Ultramar português- 261, Estudos científicos oferecidos em Homenagem ao Prof. Doutor J. Carríngton da Costa, por ocasião do seu 70º aniversário Abril de 1961, Lisboa 1962.

 Disponível on-line

 

 Rudimentos de língua maconde. Lourenço Marques, Instituto de Investigação Cientifica de Moçambique, 1963, 152 PP. Ver

 

«Contos macondes», in: Memórias do Instituto de Investigação Cientifica de Moçambique (Lourenço Marques), 5:71-96, 1963. Ver

 

«Conto Maconde», recolhido por M. Viegas Guerreiro, In: BOLETIM DA SOCIEDADE DE ESTUDOS DE MOÇAMBIQUE, (Lourenço Marques) Vol. 32, Nº 136, p.1-217, Julh./Set./ 1963.

 Disponível on-line

 

 «A numeração em povos iletrados: Bochimanes de Angola e Macondes de Moçambique», in: Gazeta de Matemática. Lisboa, 1963, n.º 92-93, pp. 19-22.

Disponível on-line

 

 Colaboração no Dicionário de História de Portugal (em publicação), dirigido por Joel Serrão, com os artigos «Judeus», «Mouros», «Serviço novo», «Varejamento», «José Leite de Vasconcellos».

 

«Contos e costumes macondes», in: Actas do Congresso Internacional de Etnografia, promovido pela câmara Municipal de Santo Tirso de 10 a 18 de Julho de 1963, col. IV, pp. 363-380.

Dispinível on-line

 

 «A propriedade entre os Bochimanes de Angola», in: Finisterra, Revista Portuguesa de Geografia. Lisboa, Centro de Estudos Geográficos, 1966, vol. I, n.º1, pp. 91-98.

Disponível on-line

 

 «Casas de Hai//` um da região de Etocha (Sudoeste Africano). Tópicos etnográficos» in: revista Geographica da Sociedade de Geografia de Lisboa, Janeiro de 1967. Ano III, n.º 9, pp. 13-19.

Disponível on-line

 

Os macondes de Moçambique: Sabedoria, Língua, Literatura e Jogos. Lisboa, Junta de Investigações do Ultramar, 1966 vol. IV, 351 pp. 

 

Organização do volume V da Etnografia Portuguesa do Dr. J. Leite de Vasconcellos. Lisboa, Imprensa Nacional, 1967, 708 pp.

 

Bochimanes !Khu de Angola. Estudo etnográfico. Lisboa, Instituto de Investigação Cientifica de Angola e Junta de Investigações do Ultramar, 1968, 388 pp. Dissertação de doutoramento em Etnologia apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

 

Vida humana no deserto de Namibe: Onguaia – In://Finisterra: revista portuguesa de geografia.- Lisboa, v.6, nº 11 (1971), p. 84-124. Ver

 

Parentesco classificatório: prioridades- Lisboa: [S.N.], 1973.-P. 19-26; 30 Cm- Sepª Garcia de Orta, Série Antropologia, Lisboa, 1 (1-2), 1973.

Disponível on-line

 

Padre Carlos Estermann: missionário e etnógrafo. Camara Municipal de Sá da Bandeira, 1974.-8p.: il.; 30cm – Extracto do Boletim Cultural da Câmara Municipal de Sá da Bandeira, nº 36, 1974. 

 

O papel da antropologia social na execução de Programas de desenvolvimento rural- Évora: Instituto Universitário de Évora, 1974.- 8 p.; 24 cm – Sepª do livro: Primeiro Seminário Universitário de Évora.  

Disponível on-line


Novos contos Macondes/ recolha, introdução e comentários de Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Junta de Investigações Cientificas do Ultramar, 1974.- 71 p.: il; 25cm. 

 

Guia de recolha de literatura popular – Lisboa: Ministério da Educação e Investigação Científica, Fundo de Apoio aos Organismos Juvenis, 1976.-53 p.; 19cm. 

 

Para a História da Literatura Popular Portuguesa – Lisboa: Instituto de Cultura Portuguesa, Secretaria de Estado da Cultura, 1978.- 116 p.; 20 cm.

 

Alberto Iria: palavras proferidas na sessão de homenagem realizada na Casa do Algarve em Lisboa, a 13-XII-1978 / Manuel Viegas Guerreiro.- Faro:[s.n], 1979.-7p;22 cm – Sepª do Correio do Sul nºs 3027e 3028 de 18-I e 1-II 1979, Faro.

Disponivel on-line

 

CARTA DE F. ADOLFO COELHO (1847) A J. LEITE DE VASCONCELLOS (1858-1941)/ Manuel Viegas Guerreiro.- NOTAS E RECENSÕES. – Sepª da REVISTA LUSITANA, Nº1, Lisboa- 1981.  

Disponivel on-line

 

Aspectos etnográficos: modos de vida, costumes, In: PARQUE NATURAL DE MONTESINHO/.- Lisboa: Serviço Nacional de Parques, Reservas e Património Paisagístico, 1980.-p. 23-35.

 

 Frei João de S. José e a sua corografia do Reino do Algarve, 1577: apresentação crítica /Manuel Viegas Guerreiro. – [Loulé]: Universidade do Algarve, 1980.-30p;21 cm.

 

 O Povo e Cultura / Manuel Viegas Guerreiro In: No Jardim do Mundo, Junho de 1996.

Disponível on-line

 

Pitões das Júnias: esboço de monografia etnográfica/ Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Serviço Nacional de Parques, Reservas e Património Paisagístico, 1981. – 332p. il.,55 est; 24 cm.

 

Unhais da Serra: notas geográficas, históricas e etnográficas/ Manuel Viegas Guerreiro, Diogo de Abreu, Francisco Melo Ferreira.- Lisboa: Serviço Nacional de Parques, 1982. – 174 P.: il. Color, 21 cm – (Parques Naturais; 13).

 

Duas descrições do Algarve do século XVI: Frei João de S. José, Corografia do Reino do Algarve (1577), Henrique Fernandes Sarrão, História do reino do Algarve (circa 1600)/ apresentação, leitura, notas e glossário de Manuel Viegas Guerreiro e Joaquim Romero Magalhães.- Lisboa: Sá da Costa, 1983.- 182p. – (Cadernos da Revista de História Económica e Social; 3).

 

Temas de Antropologia em Oliveira Martins / Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, Ministério da Educação e Cultura, 1986.- 142 p.; 20 cm. 

 

Literatura popular do distrito de Beja/ Notas e coordenação dos textos por Manuel Viegas Guerreiro, António Machado Guerreiro.- Beja: Coordenação Distrital de Beja, 1986. – 331 p.;21 cm.

 

Tradições populares de Portugal/ J. Leite de Vasconcellos; organização e apresentação de Manuel Viegas Guerreiro.- 2ª edição revista e aumentada com novos materiais do autor.-[S.I.8]: Imprensa Nacional- Casa da Moeda, 1986.- 338p.; 24cm.

 

 A Cultura da Batata, sua introdução na Europa. O caso de Portugal/ Manuel Viegas Guerreiro. – Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa, 1987.- 24p.: il.; 25 cm .- Sepª doTomo XXVI das Memórias da Academia das Ciências de Lisboa, Classe de Letras. 

 

Litterature populaire: autor d’un concept / Manuel Viegas Guerreiro.- Paris: Fondation Calouste Gukbenkian, Centre Culturel Portugais, 1987.- p. 11- 19; 26 cm.- Tiré à part du volume: Litterature orale traditionelle populaire, Actes du Colloque, Paris, 20-22 novembre 1986.

Disponível on-line

 

Elogio Histórico do Rev. Padre e Professor António da Silva Rego, pronunciado na Academia das Ciências de Lisboa em 2 de Novembro de 1989/ Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa, 1989.-p. 119-138: [2 est.]; 25 cm. Sepª do Tomo XXVIII das Memórias da Academia das Ciências de Lisboa, Classe de Letras.

 

Elogio do Ver. PADRE CARLOS ESTERMANN /Discurso do Prof. Doutor Manuel Viegas Guerreiro.- SETE DOUTORAMENTOS HONORIS CAUSA, pela Faculdade de Letras.- Lisboa 1974.

 

Uma excursão a Serra do Algarve: itinerário: Corcitos: Cabaça: Barrigões: Sarnadina: Montinho: Corte Fidalgo: Sítio das Éguas: Sobreira: Monte do Algaduro: Ameixeirinha: Corcitos/ Manuel Viegas Guerreiro.- 2ª edição.- Loulé: Câmara Municipal de Loulé, 1991.- 22 p.; 21cm.- Sepª de A voz de Loulé.  

Disponível on-line

 

Cristóvão Colombo: carta do achamento das Antilhas, 15 de Fevereiro- 14 de Março de 1493/ Biografia, tradução e notas de Manuel Viegas Guerreiro. -Lisboa:[s.n.], 1992.- 73p: 4 est. Color; 24 cm.

 

A carta de Pedro Vaz Caminha Lida por um Etnólogo/ Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Edições Cosmo, 1992.- 24p.; 24 cm.- Conferência pronunciada em Belmonte no dia 22 de Abril de 1985, dia da Comunidade Luso Brasileira.

Disponível on-line

 

A carta de Pero Vaz de Caminha, Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e Imprensa Nacional- Casa da Moeda, SA Lisboa, Abril de 2000.

 

Carta sobre o achamento das Antilhas/ Manuel Viegas Guerreiro. In: COLÓQUIO CRISTÓVÃO COLOMBO- A AMÉRICA E OS PORTUGUESES/. – Lagos: Comissão Municipal dos Descobrimentos, 1992.- p. 48-58.

 

Colombo e Portugal / Manuel Viegas Guerreiro. – Lisboa: Cosmos, 1994.- 96 p.:1est. Color; 23 cm. – (Estudos Gerais Livres; 3).

 

Notas para uma Biografia do Doutor José Leite de Vasconcellos/ Manuel José Viegas Guerreiro In: Revista Lusitana.- Lisboa. – Nova Série, nº 12 (1994), p. 53-79.

 

Povo, Povos e Culturas- Portugal, Angola e Moçambique/ Manuel Viegas Guerreiro. – Lisboa: Edições Colibri, 1997; 23 cm. – Colecção Autores Portugueses.

 

Carta A El-Rei D. Manuel sobre o achamento do Brasil/Pêro Vaz de Caminha; introdução, atualização e notas de Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1974.  

 

A Nossa Pátria: Livro de leitura do 1º ciclo-1º ano/ organizador Manuel Viegas Guerreiro; Maria Arminda Zaluar Nunes, Dora Rocha de Gouveia, Maria Ilda Andrade.- Lisboa: Livraria Didáctica, 1960.- 263p.

 

Casa Lusitana: Livro de Leitura para o 1º ciclo-2º ano/ organizador Manuel Viegas Guerreiro; com a colaboração de Dora Rocha de Gouveia, Maria Arminda Zaluar Nunes, Maria Ilda Andrade.- Lisboa.

 

Missão de Estudos das Minorias Étnicas do Ultramar Português, Relatório da Campanha de 1959 (Moçambique, Angola, Tanganhica e União Sul Africana), Jorge Dias, Manuel Viegas Guerreiro, Margot Dias, Lisboa, 1960.

 

Uma excursão a serra do Algarve. Beira- Serra do Algarve, Corcitos, 1959, 2º ed., Loulé: Câmara Municipal, 1991, Separata de: A Voz de Loulé.

 

Notas para uma biografia do doutor Leite de Vasconcelos. Lisboa: Imprensa Nacional, 1962. 31 p.

 

 

Os Judeus na história de Portugal. Lisboa: E.N.P., 1965, Separata do Dicionário História de Portugal, 8 p.

Disponível on-line

 

Guia de recolha de literatura popular. 2º ed., Lisboa: Instituto Português do Património Cultural, 1982.

 

Etnografia de Angola (Sudoeste e Centro), coletânea de artigos Dispersos de Carlos Estermann, Coligidos, por Geraldes Pereira; Apresentação Manuel Viegas Guerreiro. Lisboa: Instituto Investigação Cientifica Tropical, 1983.

 

“Literatura Popular Galega e Portuguesa: Textos”, Cadernos do Noroeste, “Minho, Terras e Gentes”, Instituto de ciências Sociais, Universidade do Minho; 1986, pp. 166- 183.  Disponível on-line

 

“Em memória do Professor Luís Filipe Lindley Cintra”. Revista Lusitana – Nova Série Lisboa. Nº 12 (1994), p. 53-79.

 

“ Literatura e Literatura Popular?”, in Artes da Fala -  Colóquio de Portel. Oeiras: Celta Editora, 1997, p. 7.17.

Disponível on-line

 

“Orlando Ribeiro e a obra de Suzane Daveau”. Finisterra: Revista Portuguesa de Geografia. Lisboa. Vol. 32, nº 63 (1997), p. 87-92.  

Disponível on-line

 

A Ilha de S. Jorge, uma monografia: textos etnográficos, colaboração de: Elsa Mendonça, Celeste Ribeiro, José Guilherme Machado, Edições colibri,1996.

 

Discurso do Professor Manuel Viegas Guerreiro: Boletim cultural, Câmara Municipal de Sá da Bandeira, Angola 1974.

 

Alamarques ou a sabedoria e as Tarefas do Tempo, In: Revista Instituto de cultura e Língua Portuguesa, Agosto/Dezembro 1986 nº6.

 

O ensino de Sá de Miranda no 7º ano dos Liceus, Ensaio crítico apresentado para Exame de estado no ano escolar de 1938-39.

 

Relatório da Campanha de 1959 (Moçambique, Angola, Tanganhica e União Sul Africana), Missão de estudos das minorias étnicas do ultramar Português, por: Jorge Dias, Manuel Viegas Guerreiro, Margot Dias, Lisboa 1960.

 

Estudos de Homenagem a Mariano Feio, Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa, Lisboa 1986.

 

Literatura oral de “Primitivos” e “Civilizados” e o seu valor Etnográfico,in: Memorian Ruden Andresen Leitão.

 

Leite de Vasconcellos (1858-1941) e a ciência etnográfica em Portugal/ Manuel Viegas Guerreiro.- Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa, 1992.-p. 1653-1660, 25 cm.- sepª do livro:  História e Desenvolvimento da ciência em Portugal no séc XX- Volume III.

 

Tradição oral e Identidade Cultural Regional, textos dos camponeses de Querença, o Algarve na prespcetiva Antropológica Ecológica, Instituto Nacional da Ciência, 1989.

 

Cultura e analfabetismo / F. Adolfo Coelho, Introdução de Manuel Viegas Guerreiro. Lisboa: Instituto Português do Património cultural, Lisboa 1984. Ver

 

Etnografia e geografia: Leite de Vasconcellos e Orlando Ribeiro / Manuel Viegas Guerreiro.- [S.I.:s.n.], 1984. – p. 63-76.- Sepª do Livro de Homenagem a Orlando Ribeiro, Lisboa, Centro de Estudos Geográficos, Vol. I, p. 63- 76, 1984.

Disponível on-line

 

Livro de Homenagem a Orlando Ribeiro, Centro de Estudo Geográficos,2º Edição, Lisboa 1988.

 

Os Versos, Francisco Martins Farias, Poeta Popular, Prefácio Manuel Viegas Guerreiro, Edição da Junta de freguesia de Querença, Agosto de 1980.

 

Os Versos, Francisco Martins Farias, Poeta Popular, Prefácio Manuel Viegas Guerreiro, Edição da Junta de freguesia de Querença, Agosto de 1991.

 

S. João das Lampas, freguesia saloia do conselho de Sintra- in://Finisterra: Revista portuguesa de geografia. Lisboa, v.9º, nº17 (1974), p.139-160.-Notas e Recensões.

 

«Ovakwankala (Bochimanes) e Ovakwanyama (Bantos): aspectos do seu convívio», in Garcia da Orta, 1960, vol.8, nº3, pp. 529-534.

 

«Pinturas Rupestres de Manica», in: Revista Geographica da sociedade de Geografia de Lisboa, Abril de 1965, ano I, n.º2, pp.2-13.

 

Gil Vicente e os motivos populares: um conto na “Farsa de Inês Pereira”/ Manuel Viegas Guerreiro In: Revista Luisitana.-Lisboa.-Nova Série, nº2 (1981), p.31-60.

 

Abertura do Colóquio [Retratos do País]: algumas reflexões em torno do tema/ Manuel Viegas Guerreiro In: Revista Lusitana.- Lisboa.- Nova Série, nº 13-14 (1995),p. 13-18.

 

“Campo e Cidade, o camponês e o Urbano”. Revista Lusitana- Nova Série. Lisboa. Nº 10 (1989),p.5-17.

 

“Leite de Vasconcelos – O Homem Sábio”. Revista Lusitana – Nova Série. Lisboa. Nº 11 (1994), P. 5-18.

 

Homem e a civilização: Henri Piéron- in:// Finisterra: revista Portuguesa de geografia Lisboa, V5, nº 10 (1970) p. 115-119.- Notas e Recensões.